logo mobile

Imprimir

Juiz mantém data de audiência e advogado participa direto da cama do hospital

.




Caso aconteceu em julgamento do Tribunal Militar de São Paulo

O advogado criminalista Flávio Grossi protagonizou uma cena insólita na quarta-feira (11) ao participar de uma audiência virtual direto da cama de um hospital após o juiz José Álvaro Machado Marques, da 4ª Auditoria da Justiça Militar do Estado de São Paulo, negar o adiamento do julgamento.

Segundo informações do portal Migalhas, Grossi enviou uma petição urgente na segunda-feira (9) relatando que teve de ser internado por graves lesões pulmonares, com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. O pedido, no entando, foi negado pelo magistrado.


Na negativa, Machado Marques citou “diversos esforços” das audiências virtuais e “as metas estabelecidas pelo CNJ para o Julgamento dos feitos”. O juiz ainda sugeriu que o advogado enviasse perguntas que seriam encaminhadas ao Ministério Público.

Ao Migalhas, o advogado informou que segue internado e aguarda ansiosamente a alta hospitalar. O julgamento em questão era sobre uma ação da Polícia Militar em um bloco de carnaval.

Em nota, a OAB/SP disse que está apurando o caso e “adotará as medidas cabíveis e necessárias para salvaguarda dos direitos e prerrogativas da Advocacia no episódio”.

O TJMSP alegou que “o juiz não acatou o pedido do advogado, pois a audiência estava marcada há mais de 10 dias e o pedido foi feito há 3 dias. O advogado atua como assistente de acusação e tem como assistente, a advogada Dra Vivian Marconi da Silva”.


* Fonte: Migalhas