Imprimir

Renda do trabalhador de 6 setores não recupera nível de 2020

.

O maior impacto foi na indústria, que teve rendimento médio mensal de R$ 2.498, uma queda de 15,7%

brasil 220722
A remuneração na indústria passou de R$ 2.964 de dezembro de 2020 para R$ 2.498 no trimestre encerrado em maio Hamilton Ferrari 24.jul.2022 (domingo) - 5h40

O rendimento médio mensal dos trabalhadores está abaixo do nível de 2020 em 6 dos 10 setores pesquisados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os funcionários da indústria foram os mais impactados no período, com renda média em queda de 15,7%.

A remuneração do setor passou de R$ 2.964 de dezembro de 2020 para R$ 2.498 no trimestre encerrado em maio, o último resultado da Pnad Contínua. Os números considerados foram o de rendimento médio real do trabalho principal das pessoas. Nesse intervalo de tempo, a renda de outros 5 setores também caiu:

  • Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (-13,4%);
  • Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (-8,3%);
  • Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (-4%);
  • Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-0,3%);
  • Alojamento e alimentação (-0,1%).

Os valores médios são a média em quantias nominais, ou seja, não têm a atualização monetária. Como houve uma inflação acumulada de 17,7% de 2020 a junho de 2022, a perda é ainda maior para os trabalhadores.

Trabalhadores do ramo de transporte e correio tiveram melhora de 2,6% no rendimento médio. A remuneração para serviços domésticos continuou a mesma: R$ 1.024 (abaixo do salário mínimo).

A renda média do trabalhador chegou a R$ 2.540 no trimestre encerrado em maio. Era de R$ 2.800 no fim de 2020. Apesar da queda, o valor já foi menor. Em dezembro de 2021, o rendimento médio era de R$ 2.494.

O rendimento médio mensal do trabalhador caiu 9,28% desde 2020. A renda subiu 1,8% em 2022.

Apesar da leve melhora até maio, o valor ainda ficou abaixo do nível do início da série histórica, em 2012. Era de R$ 2.572.

O comércio tem 18,7 milhões de pessoas ocupadas, 19,2% do total. Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais têm 17,3% do total. A indústria foi a 3ª área que mais empregou, com 12,6 milhões de trabalhadores (12,9% do total). O Brasil tem 97,5 milhões de ocupados. O número considera informais e formais.



Poder 360