logo mobile

Imprimir

Sindijus comunica ao CRESS e CRP ataques do TJ a assistentes sociais e psicólogos

.

Entidade informou órgãos oficialmente sobre andamento do inquérito administrativo contra profissionais

analistas oficio
Nesta quinta-feira (22), o Sindijus encaminhou ofícios aos conselhos regionais de Serviço Social e de Psicologia. Nos documentos, a entidade solicita que os órgãos participem da fase de instrução processual no inquérito administrativo instaurado pela Coordenadoria de Perícias Judiciais (Copejud), do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), contra dez analistas judiciários (cinco assistentes sociais e cinco psicólogos).

Inicialmente, a entidade informou a alegada motivação, apresentada pelo chefe da Copejud, Thyago Avelino, para a abertura do processo: o suposto descumprimento de metas de produtividade (as mesmas que nunca foram oficialmente definidas por Ato da Presidência ou procedimento administrativo próprio).

O sindicato também explicou que o coletivo dos analistas tentou dialogar com o Tribunal, para prestar esclarecimentos sobre as especificidades da profissão, descrevendo a precária realidade de trabalho vivida por assistentes sociais e psicólogos. Os analistas também observaram o forte aumento da demanda do serviço (desde a pandemia) e a não realização de concurso público desde 2018, mas foram ignorados pela gestão.

“O Sindijus tem direcionado o rumo do debate, com o Tribunal, para a defesa da qualidade do serviço prestado à população. A entidade também vem dando publicidade ao fato, inclusive acionando entidades de todo país. Além da atuação política, a assessoria jurídica já apresentou a defesa dos trabalhadores e, agora, na fase de instrução, o sindicato pede formalmente aos conselhos que estes se unam à defesa do exercício profissional dentro do Tribunal de Justiça de Sergipe”, informou a coordenadora Sara do Ó.