logo mobile

Imprimir

Sindijus encaminha pauta de reivindicação dos servidores efetivos à presidência do TJSE

.


No ofício, a entidade sindical solicita também estudos de impacto financeiro das reivindicações para subsidiar as negociações na próxima reunião, dia 03 de dezembro


O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Sergipe (Sindijus) encaminhou a pauta de reivindicações dos servidores efetivos à presidência de Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) nesta quarta-feira, 18, por meio de ofício.

No documento, a direção do sindicato solicitou à presidência do Tribunal que encaminhe a pauta aos setores responsáveis pelos cálculos para que sejam providenciados os estudos de impactos financeiros das reivindicações de efeitos remuneratórios. O objetivo é instruir a negociação já na próxima reunião entre os dois órgãos, marcada para o dia 03 de dezembro.


Construída coletivamente por meio de plenárias de base e aprovada em assembleia geral da categoria no último dia 12, a pauta reivindica o reajuste de 12,44% no vencimento base dos servidores efetivos, da ativa e aposentados, percentual que equivale à projeção da reposição inflacionária de 2020 (5%) e à perda histórica da inflação acumulada nos anos de 2015, 2016 e 2018 (7,44%).

A pauta apresenta também reivindicações históricas, como o reajuste dos auxílios saúde, alimentação e transporte, além do aumento da Gratificação de Estímulo à Interiorização.


“Apesar de amargarmos os menores salários do país entre os Tribunais de Justiça, nós servidores, contribuímos diretamente para que o TJSE seja considerado o melhor tribunal estadual do Brasil, segundo o Conselho Nacional de Justiça”, destacou Jones Ribeiro, coordenador geral do Sindijus.

Planejamento e implementação

A pauta dos servidores efetivos não vai de encontro às deliberações do Tribunal de Justiça de Sergipe, ao contrário; O órgão incluiu em seu planejamento estratégico (2015-2020) metas como reduzir distorções entre a remuneração dos cargos em comissão e funções de confiança em relação à dos servidores efetivos; aumentar o salário base dos servidores efetivos; implementar ações visando à reestruturação administrativa do quadro de pessoal, esta última, incluindo a reestruturação de quantitativo e de valores de funções de confiança e cargos em comissão.


“No entanto, estamos chegando ao fim da execução do planejamento do tribunal e os servidores efetivos ainda enfrentam grandes distorções salariais e amargam uma das piores posições no ranking salarial dos tribunais estaduais. O que estamos pedindo é que o Tribunal cumpra seu planejamento estratégico”, lamentou o coordenador de Administração e Finanças do Sindijus, Alexandre Rollemberg, acrescentando que, ao contrário do que está previsto no planejamento do TJSE, as discrepâncias salariais tem se amplificado nos últimos anos no órgão.

“O Tribunal de Justiça tem a oportunidade de fazer história, ao acatar e implementar as reivindicações presentes na pauta dos servidores efetivos e assim, corrigir distorções que, ao longo dos anos, impuseram aos servidores de Sergipe”, completou a coordenadora geral do Sindijus, Sara Cavalcante do Ó.