Imprimir

Vitória dos aposentados: confisco de 14% termina em julho

.

cut 060622 adobe express
Ato de vigília do SINTESE (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe) na porta da Assembleia Legislativa de Sergipe (ALESE) e nas galerias do Plenário marcou a quarta-feira, dia 1° de junho, data da aprovação do Projeto de Lei que revoga a partir do mês de julho de 2022 o confisco de 14% da remuneração de aposentadas e aposentados do Governo do Estado de Sergipe.

Roberto Silva é presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT Sergipe) e do SINTESE, ele passou o dia todo em frente à ALESE junto à vice-presidenta da CUT Ivônia Ferreira, a dirigente nacional da CUT e da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Ivonete Cruz, e vários professores de Sergipe.

"Foi um dia longo, mas a luta fez a lei depois desses dias de sol, de chuva e de luta contra o confisco absurdo que os aposentados e aposentadas de Sergipe vem sofrendo desde 2019", declarou Roberto Silva em video veiculado nas redes sociais do SINTESE.

Com o pensamento em todos os aposentados do Estado de Sergipe que serão beneficiados pela medida, a coordenadora geral do SINDIJUS (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe), Sara do Ó, também comemorou a vitória da luta contra o confisco de 14% sobre o salário dos aposentados.

"É com alívio que recebemos a notícia da aprovação do Projeto de Lei Complementar 14/2022, já estava mais do que na hora de cessar essa sangria no salário dos aposentados, um verdadeiro confisco foi feito. Está sendo difícil equilibrar as contas em decorrência da gigantesca inflação e mais o desconto de 14%, que tira em média R$800,00 no salário. Esse ataque na remuneração trouxe incertezas e um enorme sentimento de desrespeito com a pessoa humana. O significado é mais qualidade de vida, é acabar com o sentimento de vulnerabilidade", destacou Sara do Ó.

O confisco dos aposentados vai acabar no mês de julho, mas, segundo o presidente da CUT Sergipe, a luta vai continuar. "Ganhamos uma batalha, mas precisamos construir a luta pela devolução do que foi confiscado. Já havíamos ingressado na Justiça pela revogação do confisco e pela devolução do valor confiscado. Essas ações ainda não foram julgadas e não queremos pautar nossa luta apenas por decisão judicial. Por isso é preciso manter o protesto, pois só a luta pode conquistar a devolução dos valores confiscados dos aposentados ", declarou Roberto Silva presidente da CUT Sergipe.



Fonte: CUT Sergipe